– De 86 à 2009

 

Minha trajetória de vida é igual a da maioria das pessoas do Estado de Rondônia. Filho de uma família humilde, trabalhei desde criança para ajudar meus pais. Nascí no dia 10 de junho de 1963, em Guararapes, município do interior do Estado de São Paulo. Meus pais, Expedito Gonçalves Ferreira e Maria Rodrigues Ferreira, eram pequenos agricultores. Oitavo filho, de uma família de 11, desde os 8 anos trabalhei para ajudar a família. Trabalhei como engraxate, sapateiro e entregador de jornal. Nessa época, além de ajudar os pais, também estudava. Terminei em 1979, o curso de magistério no Colégio João Arruda Brasil.

Em busca de concretizar meus objetivos, em 1981, então com 18 anos, mudei de São Paulo para Rondônia. O lugar escolhido foi Rolim de Moura. Quando chegamos ao município trabalhei como “chapa” (ajudante de carga de caminhões), o que me fez conhecer toda a região e ter contato direto com as vontades e necessidades da população. Esse período foi importante prá mim, pois fez com que meu espírito de liderança ficasse ainda mais forte. Em seguida, impulsionado pelos elogios a nova terra e pela realidade conhecida e descrita pelo mim aos meus pais, minha família também migrou para Rondônia.

Minha vontade de ver o progresso chegar a toda a região, que por ser nova, necessitava de muitas melhorias sociais, motivou-me a mostrar que eu tinha idéias e proposta para mudar toda situação. Em 1982, tornei-me presidente da Associação dos Auxiliares de Cargas de Rolim de Moura, atuando em defesa da categoria. No ano seguinte, realizei um grande sonho, o de ser professor. Lecionei matemática, na Escola Estadual Pereira da Silva, em Rolim de Moura, até 1985.

A trajetória de luta pela justiça social e pelo desenvolvimento regional, habilitou-me a conquistar mais um passo para esse objetivo. Em 1984, com apoio maciço da população de Rolim de Moura, com 21 anos, fui eleito vereador na primeira eleição do município. Até hoje, fui o vereador mais novo da história da cidade.

Meu trabalho como vereador foi destaque não só em Rolim de Moura, mas em toda a região da Zona da Mata. Meu nome e minha luta eram conhecidos e reconhecidos. A vontade da população impulsionou-me no âmbito político. Em 1986, ele fui eleito o deputado mais jovem do Brasil. Sempre gosto de frisar que, nessa época, minha campanha para a câmara federal foi feita “em cima de uma motocicleta”.

Além de ter a menor idade entre os congressistas na época, tornei-me o mais jovem político da história do país a participar da elaboração de uma Constituição. Nos primeiros dias em Brasília, em 1987, então com 23 anos, fui destaque em todo o Brasil, quando repórteres do Jornal Nacional me filmaram chegando ao Congresso Nacional em uma motocicleta. Ao ser entrevistado, disse que era o representante de um Estado que, como ele, era jovem e com muita vontade de trabalhar e crescer.

Durante a campanha a deputado federal de 1986, começei a namorar Valdelise Martins e, em 1988, casei-me com ela, com a qual temos dois filhos: Expedito Gonçalves Ferreira Neto, 20 anos, e Carol Gonçalves Ferreira, 13.

A oportunidade de constituir uma família em um Estado tão belo e valoroso é o ponto máximo de minha vida. Desde pequeno tinha a união e o amor de uma família como principal bem, e nesse sentido, passei a também ter minha família e pregar os mesmos sentimentos que o humilde agricultor Expedito Gonçalves Ferreira, meu pai, me ensinou: Deus, família e trabalho.

Porém, no período da primeira legislatura federal, ocorreu um episódio triste para mim e para o Estado. Fui obrigado a deixar o cargo de deputado devido à falhas no sistema de registro de candidaturas e brechas na lei. Na época, as eleições eram realizadas ainda com cédulas de papel. Em vez de digitar um número, o eleitor tinha que escrever o nome do candidato. Eu tinha registrado meu nome para a eleição, mas na hora da contagem, a maioria dos votos, principalmente os da Zona da Mata, tinha escrito somente Júnior, como sempre fui conhecido. Na época, os votos foram contabilizados para Expedito Júnior.

Só que havia, no Estado, um registro de candidatura com o nome “Júnior”. Por interesses de alguns, uma ação judicial foi protocolada e acabou por me tirar de Brasília. Os votos que haviam sido contados a meu favor, mas como o nome “Júnior” foram todos anulados, o suficiente para impossibilitar-me a continuar meu trabalho na Câmara.

Apesar de ter perdido o mandato, não esmoreci. Minha vontade de ver o progresso do Estado continuou. O Expedito político atuou de 1987 a 1988 como Secretário do Trabalho e Promoção Social do Estado de Rondônia. Criou a 1ª Olimpíada do Menor Trabalhador em 1987. Durante esse período, consolidou-se na vida pública e ampliou seu trabalho.

Em 1994, candidatei-me novamente ao cargo de deputado federal e fui eleito mais uma vez. Fui eleito novamente. O mandato teve início em 1995 e foi marcado pela luta incansável para trazer recursos para Rondônia. Fui o membro da bancada do estado que mais conseguia investimentos e convênios para o Estado. A bancada de Rondônia é formada por três senadores e oito deputados federais.

O meu trabalho no Congresso Nacional foi reconhecido pelo povo de Rondônia, que me reelegeram para novamente representar o Estado. O terceiro mandato, que teve início em 1999 e terminou em 2003, também foi marcado pelos mesmos objetivos. Outro ponto que sempre fez parte da minha conduta política foi não se importar com cores e diferenças partidárias. Suas emendas e convênios sempre foram disponibilizados pelo critério da necessidade e não do apadrinhamento. A minha conduta ética na política, vem da convicção pessoal de que só com seriedade e compromisso com o povo se consegue de fato atingir os objetivos almejados.

Entendo que a união de forças entre representantes e lideranças partidárias, de categorias e das comunidades é produtivo e salutar para a população, que tem a oportunidade de receber mais benefícios sociais. Outro ponto que destaco é que a dobradinha entre essas lideranças e Expedito já mostrou que funciona e que sabe trabalhar.

Agora em 2013, estou correndo os 4 cantos do Estado de Rondônia, objetivando um só projeto: Transformar nosso Estado em um Estado de desenvolvimento, pujante e com a melhor qualidade de vida do país, a partir de 2014. Posso parecer pretensioso, mas com a força de todos e sobretudo do nosso Deus Pai, nada é impossível.

2 Responses to – De 86 à 2009

  1. José Edwaldo disse:

    Expedito, bom dia

    Sei do seu passado e guararapense como você, sabedor da sua força em lutar por um ideal,neste momento quero deixar a mensagem de que continue lutando pelos seus objetivos e pela carreira política, porque somente desta maneira vc consiguirá mostrar ao povo de Rondônia realmente quem é o Expedito Junior de Guararapes-SP.
    Abraços e boa sorte

  2. dany disse:

    Sua história de vida é linda!Sua referência de família maravilhosa e sua trajetória política uma lição de determinação e coragem.Amigo Expedito sua simplicidade e sua sensatez faz de você e Val um casal admirado e respeitado por nós. Deus te dê muita saúde para a batalha de 2010 e sei que você será vitórioso para o bem do nosso povo. ABRAÇOS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: